quarta-feira, 3 de outubro de 2012

MILITAR É INCOMPETENTE DEMAIS (rssss)

MILITAR É INCOMPETENTE DEMAIS
Por: Millôr Fernandes

Militar é incompetente demais!!!
Militares, nunca mais!

Ainda bem que hoje tudo é diferente, temos um PT sério, honesto e progressista.


Cresce o grupo que não quer mais ver militares no poder, pelas razões abaixo:

Militar no poder, nunca mais. Só fizeram lambanças:

I
Tiraram o cenário bucólico que havia na Via Dutra de uma só pista,
que foi duplicada e recebeu melhorias; acabaram aí com as emoções das curvas mal construídas e os solavancos estimulantes provocados pelos buracos na pista.

I I
Não satisfeitos, fizeram o mesmo com a rodovia Rio-Juiz de Fora.
Com a construção da ponte Rio-Niterói, acabaram com o sonho de crescimento da pequena Magé, cidade nos fundos da Baía de Guanabara, que era caminho obrigatório dos que ia de um lado ao outro e não queriam sofrer na espera da barcaça que levava meia dúzia de carros.

III
Criaram esse maldito do Proálcool, com o medo infundado de que o petróleo iria acabar um dia. Para apressar logo o fim do chamado "ouro negro", deram um impulso gigantesco à Petrobras, que passou a extrair petróleo 10 vezes mais (de 75 mil barris diários, passou a produzir 750 mil); sem contar o fedor de bêbado que os carros passaram a ter com o uso do álcool.

IV
Enfiaram o Brasil numa disputa estressante, levando-o da posição de 45ª economia do mundo para a posição de 8ª, trazendo com isso uma nociva onda de inveja mundial. Além do mais, com sua incompetência, tiraram o sossego da vida ociosa de 13 milhões de brasileiros, que, com a gigantesca oferta de emprego, ficaram sem a desculpa para o famoso "estou desempregado".

V
Em 1971, ainda no governo militar, o Brasil alcançou a posição de segundo maior construtor de navios no mundo. Uma desgraça completa.

VI
Com gigantesca oferta de empregos, baixaram consideravelmente os índices de roubos e assaltos. Sem aquela emoção de estar na iminência de sofrer um assalto, os nossos passeios perderem completamente a graça.

VII
Alteraram profundamente a topografia do território brasileiro com a construção de hidrelétricas gigantescas (Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipu), o que obrigou as nossas crianças a aprenderem sobre essas bobagens de nomes esquisitos.

VIII
O Brasil, que antes vivia o romantismo do jantar à luz de velas, teve que tolerar a instalação de milhares de torres de alta tensão espalhadas pelo seu território, para levar energia elétrica a quem nunca precisou disso.

IX
Implementaram os metrôs de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza, deixando tudo pronto para atazanar a vida dos cidadãos e o trânsito nestas cidades.

X
Esses militares baniram do Brasil pessoas bem intencionadas, que queriam implantar aqui um regime político que fazia a felicidade dos cubanos, russos e chineses, em cujos países as pessoas se reuniam em fila nas ruas apenas para bater-papo, e ninguém pensava em sair a passeio para nenhum outro país.

XI
Foram demasiadamente rigorosos com os simpatizantes daqueles regimes, só porque soltaram uma "bombinha de São João" no aeroporto de Guararapes, onde alguns inocentes morreram de susto apenas.

XII
Os militares são muito estressados.
Fazem tempestade em copo d'água só por causa de alguns assaltos a bancos, sequestros de diplomatas... ninharias que qualquer delegado de polícia resolve.

XIII
Tiraram-nos o interesse pela Política, vez que os deputados e senadores daquela época não nos brindavam com esses deliciosos escândalos que fazem a alegria da gente hoje.

XIV
Os de hoje é que são bons e honestos. Cadê os Impostos de hoje, isto eles não fizeram! Para piorar a coisa, ainda criaram o MOBRAL, que ensinou milhões a ler e escrever, aumentando mais ainda o poder desses empregados contra os seus patrões.

XV
Nem o homem do campo escapou, porque criaram para ele o FUNRURAL, tirando do pobre coitado a doce preocupação que ele tinha com o seu futuro. Era tão bom imaginar-se velhinho, pedindo esmolas para sobreviver.

XVI
Outras desgraças criadas pelos militares:
Trouxeram a TV a cores para as nossas casas, pelas mãos e burrice de um Oficial do Exército, formado pelo Instituto Militar de Engenharia, que inventou o sistema PAL-M. Criaram ainda a EMBRATEL; TELEBRÁS; ANGRA I e II; INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM.

XVII
Tudo isso e muito mais os militares fizeram em 22 anos de governo.
Pensa!!
Depois que entregaram o governo aos civis, estes, nos vinte anos seguintes,
não fizeram nem 10% dos estragos que os militares fizeram!!!!
Graças a Deus!
Ainda bem que os militares não continuaram no poder!!
Tem muito mais coisas horrorosas que eles, os militares, criaram, mas o que está escrito acima é o bastante para dizermos:
"Militar no poder, nunca mais!!!", exceto os domesticados.

XVIII
Ainda bem que hoje estão assumindo o poder pessoas compromissadas com os interesses do Povo.

XIX
Militares jamais!
Os políticos de hoje pensam apenas em ajudar as pessoas e foram injustamente prejudicadas quando enfrentavam os militares com armas às escondidas com bandeiras de socialismo. Os países socialistas são exemplos a todos, vejam: Cuba, Venezuela, Colômbia, Bolívia, Argentina, e outros.

XX
ALÉM DISSO, NENHUM DESSES MILITARES
CONSEGUIU FICAR RICO.
ÊTA INCOMPETÊNCIA ! ! ! !!

Millôr Fernandes

B.O.B. - Bug Out Bag

B.O.B. - Bug Out Bag

Em uma situação de evacuação ou espera por resgate, é essencial que o sobrevivente possui meios de se manter bem ao menos nos primeiros momentos da crise em que está. Com isso em mente, muitos sobrevivencialistas montam um kit conhecido como Mochila de fuga ou BoB: Bug-out-Bag. Esse kit consiste em uma bolsa ou mochila que contêm itens essenciais para a sobrevivência e um mínimo de bem estar durante 72 horas (ou seja: 3 dias). Tendo isso em mente que itens você selecionaria para sua mochila de fuga? A lista de itens a serem carregados varia de acordo com as necessidades de cada indivíduo e ao cenário de crise que ele está submetido, mas ainda há alguns princípios que norteiam a construção deste tipo de kit e é sobre isso que este artigo ira tratar.


Conceito

Como dito acima, a mochila de fuga contêm itens para sua sobrevivência e comodidade por 72 horas. Seguindo a regra sobrevivencialista dos "3", sabemos que as primeiras preocupações serão com saúde, abrigo, hidratação e alimentação. Em seguida seu kit deve ajudá-lo na construção de um abrigo, criação de fogo, sinalização dentre outros. Logo é importante contar com itens e ferramentas para cada uma dessas necessidades.

Ao escolher os itens de sua mochila, dê preferência aos itens que tenham múltiplas funções, sejam compactos, leves, resistentes e, principalmente, funcionais.

Note que alguns destes itens talvez já existam em seus EDCs, mas serão citados por sua relevância. os itens de EDC não citados abaixo, ainda assim podem ser somados ao BoB como celular, carteira, etc.


A mochila

Embora frequentemente mencionado o uso de uma mochila, o container do kit (ou seja o que vai "conter" o kit) pode ser também uma bolsa ou mala. Os principais critérios para a escolha do container são o espaço de armazenamento, a resistência, o quão discreta ela é e o nível de facilidade de deslocamento com ela.

Outros itens ainda podem ser levados em conta como impermeabilidade, distribuição inteligente de bolsos, segurança da bolsa e etc, mas são quesitos secundários e não são o foco para a escolha da mochila ou bolsa.
 

Saúde

Kit de primeiros socorros: Item essencial para pequenos problemas de saúde como dores, inflamações ou pequenos machucados.

Itens de higiene: Escova e pasta de dentes, sabonete, desodorante. é importante se manter limpo para evitar possíveis complicações.

Roupas extras: Pelo menos um conjunto de roupas extras, guardadas em um plástico para mantê-las limpas e secas. isso é importante para a manutenção da temperatura corporal, para se manter seco e protegido contra insetos.

poncho ou cobertor de emergência: Também para lidar com a manutenção da temperatura.


Abrigo

Lona: um pedaço de lona de tamanho razovel pode ocupar um espaço mínimo se for bem dobrado. A lona pode ser usado para se montar um abrigo provisório, dentre outras funcionalidades.

Corda: outro item que pode ser guardado em grandes quantidades ocupando um espaço mínimo. A corda pode ser usada para a criação do abrigo provisório e outras utilidades.

Mosquiteiro: muito usada no norte e no nordeste, são redes finas usadas para impedir a passagem de mosquitos e outros insetos.
 

Hidratação

2 litros de água por pessoa por dia: Se for possível, também é interessante ter pelo menos 1 litro a mais para limpeza.
Container para água: Pode ser um cantil, garrafa, saco plástico, camisinha não lubrificada ou outros equipamentos que permitam carregar água.
Purificação de água: Tenha a mão meios de purificar a água, como filtros de papel ou tecido, pastilhas de cloro, água sanitária, etc.


Alimentação

Comida rápida: Barras de cereais, comida desidratada, liofilizada ou qualquer alternativa que possa ser guardada ocupando pouco espaço e que possa nutrir suficientemente.
Kit de cozinha: Existem versões de acampamento de kits pequenos com panelas, talheres e até pequenos fogareiros a gás que podem dar um pouco mais de liberdade e conforto ao preparar alimentos.
 

Sinalização

Apito: O apito tem uma função importante para a sinalização de ajuda. um exemplo claro é mostrado no filme Titanic, quando a Rose usa o apito para chamar o bote de resgate, uma vez que ela não conseguia gritar.

Espelho/laser: Função similar a do apito, este gera uma sinalização visual usando a luz do sol (espelho) ou uma luz artificial (podendo ser um laser, lanterna, fogo, etc).

Sinalizador específico: Seja em forma de fogo de artifício, gerador de fumaça colorida ou lampada elétrica, também servem para indicar sua posição.
 

Utilitários

Por fim, há outras ferramentas que devem ser levadas em consideração para tarefas em geral nessas 72 horas:

Criação de fogo: Um isqueiro, vela, lente de aumento, pederneira, barra de magnésio, iscas para fogo (como tiras de tecido ou borracha) e etc.

Multi-ferramenta: uma multi-ferramenta, seja uma gerber, um canivete e etc pode auxilia-lo nas múltiplas tarefas que possam surgir.

Faca/canivete: O importante aqui é você possuir uma lâmina principal que lhe permita realizar cortes sem maiores dificuldades. também pode ser usada como arma se necessário.

Lanterna: para gerar luz durante a noite além da função já citada acima de sinalização.

Rádio: é importante se manter informado e uma forma prática em caso de emergências envolvendo toda uma região é ficar antenado nas transmissões de rádio.

Mapa Local: para o planejamento de rotas e o mesmo já pode conter anotação como pontos de encontros marcados previamente, locais seguros, etc.
 

Particularidades

Não considere a lista de itens acima como uma lista perfeita e completa para toda e qualquer situação. Ela é apenas um guia geral de exemplos dentro das categorias essenciais do kit citadas acima.

Ao montar seu kit, leve em consideração suas necessidades pessoais. Se você tem asma ou alguma outra doença que precise de remédios frequentes, lembre-se de incluí-los. Se você for médico, seu kit de primeiros socorros pode ser maior, ou menor! Ou seja: analise suas reais necessidades antes de montar seu BoB e então mãos a obra.

O BoB deve já estar armazenado e pronto para o caso de você precisar usá-lo. Sendo assim monte-o e guarde-o assim que possível. Se preferir você pode ter um BoB em casa, outro no carro, outro no trabalho e etc para estar preparado para uma possível evacuação onde você estiver.

Considere também que múltiplos BoB podem ter tamanhos diferentes e serem constituídos de itens diferentes. Um BoB que você carregue consigo, deve ser pequeno e leve, enquanto um que permaneça no carro pode ser maior e mais pesado.

Esteja sempre alerta.....Dias dificeis estão por vir, não serpa o fim do munda mas as dificuldades certamente ao de vir de uma forma ou outra.

10 Mitos e Verdades sobre a Sobrevivencia.

 A TV, o cinema e a internet vão matar você assim como pais e professores também, em alguns casos. Se você estiver em alguma situação de emergência e fizer algo que ouviu de alguma fonte dúbia, poderá não ter chance de contar a sua história.

Portanto seguem uma lista dos 10 maiores mitos sobre sobrevivência que a nós ouvimos por aí, mas segundo Neil Strauss podem colocar você em grande risco. Ele aprendeu, ao estudar estas situações junto de profissionais treinados para escrever o livro “Emergency: This book will save your life” (Emergência: Este livro salvará a sua vida, em tradução livre), como você realmente deve se comportar.

1. Mito: Se perdido em um deserto, pode tirar água de um cacto.
Realidade: As chances é que não vai ser possível tirar mais do que algumas gotas, e serão amargas e pode levar a cólicas e vômito.

2. Mito: Se atacado por um tubarão, dê um soco no nariz (do peixe).
Realidade: Você tem mais chances de machucar a sua mão do que o tubarão. Ao invés disso, ataque-o ferozmente nos olhos e nas brânquias com algo pontudo ou cortante, de preferência.

3. Mito: Durante um terremoto, o lugar mais seguro é o batente da porta.
Mito alternativo: Durante um terremoto crie um “triângulo da vida” se encolhendo ao lado de um objeto grande que irá comprimir levemente, deixando um espaço vazio sobre você e os escombros.
Realidade: Ficar no batente da porta poderia ser a melhor solução em construções antigas, onde o batente de madeira, era o ponto mais forte da casa. Mas nos apartamentos modernos, esta parte da porta é a mais fraca do lugar. O “triângulo da vida” só é aplicável em casas com o telhado plano que caem diretamente.

4. Mito: Se uma bomba disparar, ligue para o 190.
Realidade: Evite usar telefone ou celular num raio de 400m de um possível ataque com bomba, pois isto pode acionar um dispositivo secundário.

5. Mito: Se mordido por uma cobra venenosa, chupe o veneno para fora, ou, corte um X sobre a mordida, para deixar o veneno sair.
Realidade: Você não vai poder chupar ou cortar o ferimento rápido o bastante para evitar que o veneno se espalhe. Além disso, colocar o veneno na boca, só irá criar um novo caminho de entrada para o veneno caso você tenha uma afta ou gengivite. O ideal é manter o local abaixo do nível do coração e procurar o serviço de emergência.

6. Mito: Em um incêndio elétrico, desplugue o aparelho imediatamente.
Realidade: Tocar o aparelho pode te levar a ser eletrocutado. Deve-se desligar o disjuntor de energia, antes de ligar para a emergência.

7. Mito: Guarde um galão de água por pessoa por dia suficiente para três ou sete dias na garagem ou porão.
Realidade: Isso é um fato. No entanto, muitas pessoas guardam a água em um ambiente com chão de concreto. Deixar os galões de plástico em contato com o concreto durante muito tempo pode gerar uma reação química que contamina a água.

8. Mito: Se esfaqueado ou empalado por algo, remova o objeto imediatamente.
Realidade: Deixe o objeto, ligue para a polícia e evite que o objeto se mova, o máximo possível. A não ser que o objeto esteja bloqueando as vias respiratórias.

9. Mito: Para sobreviver no tempo frio, é possível comer neve ou gelo.
Realidade: Comer grande quantidade de neve vai baixar a temperatura corporal, vai gastar energia e pode estar contaminada. Além de poder congelar o esôfago e o estômago. Uma solução seria derreter a neve, ferver, esperar esfriar e então beber.

10. Mito: Orar não ajuda.
Realidade: Um estudo com sobreviventes mostrou que um traço que possuem em comum é a oração, mesmo que não acreditem em deus. A oração ajuda a organizar os pensamentos e manter a mente focada.